4 de fev de 2018

eu disse que te encontrei , e você me respondeu dizendo que na verdade tinha me encontrado. Eu acho que nos encontramos. Eu, que nunca tive sorte na vida, te encontrei. E uma luz se acendeu, uma chama de esperança queimou no meu horizonte, antes um tunel escuro e gigante. Eu, astronauta, queria gravitar para sempre na órbita do seu abraço e sentir os átomos que te constituem nos meus átomos. Você, tão gentil, bondoso e feliz.

27 de dez de 2017

Escrevo

Escrevo porque minha dor existe,
porque você existe.
Escrevo porque sei que minha vida é curta
e a sua também
e que desejo que você me ame como amo você.

"Não quero te machucar", você disse uma, duas vezes.
Eu não ligo,
 já te deixei fazer isso uma vez
e você possivelmente fez de novo.

Eu escrevo porque os nossos corpos talvez não tenham sido 
feitos para a junção atômica

Eu escrevo porque queria estar no horizonte de eventos de um buraco negro
e ser engolida por ele
eu quero sair daqui 

Nossos corpos não foram feitos pra junção atômica porque, 
juntos,
explodimos o mundo
mas você me explodiu primeiro
de novo
como um soldado que vai pra guerra e é atingido por uma granada.


eu queria que você me visse como você olha pra nossa galáxia: com admiração, encantamento e discernimento dos detalhes
Gostaria que você me devorasse como devora a Física e o mundo quântico
que você gostasse de mim como gosta de Einstein.

Eu escrevo porque não fomos feitos um para o outro
e que esse ideal de amor talvez nunca exista.
O mais importante é que não existimos.

E não te dói saber que a vida é efêmera e que talvez daqui a uns anos nunca mais nos veremos?
O caos vai te levar pra longe de mim e você não se lembrará da minha voz.
Será que vai? Será que você vai se lembrar de como eu sorria e ficava feliz na sua presença? De como eu ficava parada escutando tudo que você dizia cautelosamente com a intenção de gravar cada palavra na minha vã memória? "Eu vou te machucar", você disse de novo, depois de quase 1 ano.
Então me machuque. Nessa noite, eu quero que você me machuque.

28 de nov de 2017

Carta aos ex-amores



À vocês todos que um dia colocaram as mãos em mim,
disseram palavras bonitas
e me fizeram acreditar que o mundo é um lugar agradável
repleto de pessoas que se importam umas com as outras.
À vocês que foram embora e deixaram
pedaços cortantes de suas essências dentro de mim
e que levaram um pedaço de quem eu era.
Aos rapazes com quem me deitei e me entreguei
e despi-me a alma,
revelei segredos,
inquietações,
traumas,
dores.
Eu implorei que vocês ficassem, mas vocês são pássaros
e voaram pra longe.
Há um pássaro inquieto dentro de mim,
que também quer voar e ser livre.
Há uma pressão autoimposta,
uma preocupação latente
com o que ainda não veio.
Quem sou? Quem são vocês?
O que querem de mim?
Eu não sei o que vai ser e eu tenho medo do que ainda não é.
Eu quero me distanciar de vocês
mas não suporto minha solidão.

4 de nov de 2017

Efêmero

Me dói saber que eu não signifiquei pra você o que você foi pra mim. Me dói quando você fala de todas elas como se eu não estivesse ali e um raio de vislumbre do quão doloroso é pra mim sequer passar pela sua cabeça. Dói que você não se importe. Dói. Mas eu vivo de dores, meu amor. Ainda assim, sigo entregando afeto e flores, apesar de que elas sejam efêmeras. O café, a vida, o nosso amor. Tudo efêmero. Espera, amor?

caçador

Você não é bom, amor
retiro o que eu disse.
Eu sou uma boa pessoa;
a dor de outrem é minha dor.

Minha dor, ao contrário, não é sua.
Pegue-a e sorria, ria,
finja que ela não existe.
Finja que eu não existo,
como você tem feito ultimamente.

Você é um caçador,
exiba seus troféus,
exiba as garotas com quem você dormiu.
Sorria, ria,
menino.
Você é mau,
eu não preciso de você.

29 de out de 2017

Poesia



Eu vejo poesia na Matemática,
vejo beleza no Cálculo,
na Geometria,
na Álgebra

Mas por que a minha tristeza some
e a minha vontade de escrever poesia desaparece
quando estou resolvendo uma equação?

Eu não consigo escrever nem pensar sobre autodestruição,
amor, morte.
Eu só tendo ao infinito, de uma forma boa.
Eu vou viver para isso porque,
só assim,
não penso na minha desesperança em relação ao futuro,
vazio das relações humanas,
individualismo e modernidade
liquefazendo tudo,
de forma a escorrer pelos dedos:
o amor, a verdade, tudo que deveria ser sólido.

Sinto vontade de viver para isso
porque me tira do que é mau.
Mas gosto de escrever poesia,
só não sinto mais vontade.

Então vou falar de quão bonita a Matemática é.
E, se uma função pra um determinado valor tender ao infinito,
assim como ela, eu também quero ser infinita,
gigante.
Eu quero explodir como a f(x) = 1/x
quando x tender a zero.

21 de out de 2017

Eu sozinha


Há uma força invisível
me sufocando

o tempo está abafado
e muito, muito quente

sinto meu sangue ferver
nas minhas veias
prontas para serem expostas

e a chuva desce;
sobre minha cabeça gotas densas,
barulhentas,
minha mente fervilhando de ideias
e pensamentos autodestrutivos

e dessa vez, apesar de estar relacionado
de certa maneira contigo,
não é nada além de mim mesma.

é minha culpa por ser assim,
tão extrema em tudo.
quando te vejo, quero-te
beijar, tocar, ser sua

mas nós não funcionamos,
porque você é muito bom
para suportar algo tão frágil e em iminência
de desabamento.

eu quero a dor para esquecer
quero alguém dentro de mim
me machucando tão forte
dor latente,
flamejante
eu quero a dor
a dor para esquecer
que eu te amo tanto, meu amor!

mas não é como deve ser,
você é um caçador de relações
rasas relações,
fragmentos do que podia ser
mas nunca será!
E eu seria,
eu queria,
eu me daria,
mas ninguém,
ninguém fica.

 Mapa Literário