Páginas

11 de fev de 2017

Uma carta para o AMOR

Me diz quem é você e o que você quer, por favor. Estou cansada de ser usada por você e ver as pessoas serem usadas também. Você sempre chega devagar como um vento no rosto, traz uma sensação de paz, uma sensação de que tudo pode dar certo. Eu fui percebendo que você habitava em mim quando eu me perdia em pensamentos e me via sorrindo do nada, aquele sorriso mais bobo, sabe? Quando eu não mais queria ficar sozinha, queria ter um ombro como travesseiro para as maratonas de Breaking Bad, queria um som de uma risada para se juntar a minha, queria ter companhia para ler O Alquimista, queria ter uma mão para enlaçar a minha. Mas a sensação de paz foi só no começo. Por isso que eu não entendo você. A história se repete todos os dias, você chega, transforma nossa vida, e simplesmente vai embora do nada, largando choros e ranger de dentes por onde passa. Eu nunca entendi porque você tem um fim. Não seria mais bonito que você não nos abandonasse? Pense em quantas crianças teriam tido uma bela infância se você não tivesse ido embora da vida dos pais delas? Pense em quantas pessoas hoje não estariam com uma família linda, se você não tivesse ido embora antes de elas construírem uma? Pensa em quantos jovens poderiam ter tido o privilégio de te conhecer antes de partir, se você não fosse tão egoísta e só se apresentasse para aqueles que se dizem sortudos? Eu simplesmente não te entendo. Como você pode fazer tanto bem e tanto mal ao mesmo tempo? Ok, tudo bem, se você quer partir, pode ir. Mas por que não pode deixar nossa vida como estava antes de você chegar? Você é como a guerra né. Somos uma pessoa antes de você chegar e quando vai embora só deixa pedaços e jamais voltamos a nossa forma original. Porque a nossa alma foi mudada, porque alguém fez parte dela por um tempo, e essa pessoa deixou uma marca. E vai ser sempre assim, vai passar séculos e você vai continuar a trabalhar dessa forma.

              

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 Mapa Literário